Quatromil milhões de Meticais. É quanto o Estado moçambicano perdia por ano em receita aduaneira no contrabando de combustível, sustentado por uma teia complexa de operadores nacionais e estrangeiros.

Numa clara manobra de fuga ao fisco, eles enganavam o Governo declarando combustível para trânsito internacional e/ou bisbilhotando esquemas de abastecimento de multinacionais, empresas agrícolas e pesqueiras.

Vamos por partes: operadores que transportavam combustível em camiões-cisternas declaravam à Autoridade Tributária (AT) que o produto tinha como destino alguns países da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC), nomeadamente África do Sul, Malawi, Zâmbia, Zimbabwe, República Democrática do Congo e Botswana.

Usavam os corredores de Maputo, Beira e Nacala em simulação de um negócio além-fronteiras, fintando as autoridades e regressando com o combustível para venda em postos de abastecimento no interior do país.

Texto de Bento Venâncio
This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

Câmbio

Moeda Compra Venda
USD 63,6 64,83
ZAR 4,56 4,65
EUR 71,57 72,96

11.04.201Banco de Moçambique

Quem está Online?

Temos 354 visitante(s) ligado(s) ao Jornal