A África do Sul acolheu a primeira manobra conjunta que junta as marinhas de guerra da África do Sul, da China e da Rússia. A manobra, que durou quinze dias, 15 a 30 de Novembro de 2019, decorreu nas águas territoriais sul-africanas. Com esta manobra, a China deve dar-se por satisfeita por ter conseguido a parceria de um dos países mais importantes de África. Obviamente poder- -se-ia abordar este assunto de forma ampla para se poder ler as implicações tanto para o continente africano, como para a Rússia, para a China e para o mundo. Contudo, aqui optou-se por discutir este assunto tendo em conta o seu significado para a China no âmbito da iniciativa do Governo chinês One Belt, One Road.

De facto, a iniciativa One Belt, One Road foi lançada oficialmente em 2013, com o objectivo de dinamizar o comércio internacional através do desenvolvimento de infra- -estruturas no mar e em terra, a nível global. Desde então, a China tem vindo a construir, de forma progressiva, as alianças e infra-estruturas necessárias para a materialização do sonho cuja meta para o funcionamento da iniciativa em pleno é 2049. A iniciativa tem conseguido a adesão de muitos países, incluídos países europeus como a Alemanha e a França. Por exemplo, Emanuel Macron esteve na China no dia 4 de Novembro de 2019 para reforçar as relações comerciais.

Apenas os EUA, de forma aberta, não vêem com bons olhos o One Belt, One Road, porque a materialização desta iniciativa pode catapultar a China ao estatuto de hegemonia global. Um estatuto (de hegemonia) que os EUA perderam no início do século XXI com o surgimento das potências emergentes (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) que instauraram um sistema internacional multipolar e inclusivo, do qual os EUA são parte integrante. Portanto, o sucesso da iniciativa One Belt, One Road é, sem dúvida, uma afronta à vontade hegemónica americana. No caso vertente, a manobra conjunta é uma vantagem estratégica, porque a China passa a ter uma relativa facilidade de materializar os seus interesses, pela proximidade que o evento (manobra conjunta) estabeleceu.  Leia mais...

Por Paulo Mateus Wache*

This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.


Câmbio

Moeda Compra Venda
USD 61,72 62,95
ZAR 4,18 4,26
EUR 68,69 70,06

18.10.201Banco de Moçambique

Quem está Online?

Temos 445 visitante(s) ligado(s) ao Jornal