A assinatura do Acordo de Paz e Reconciliação entre o Governo e a Renamo é, certamente, o acontecimento mais marcante do ciclo de governação, ora no seu ocaso, pelo seu simbolismo que volta a colocar Moçambique e os moçambicanos aos olhos do mundo.

A assinatura deste acordo é o corolário de um ciclo de governação de diálogo directo entre o Presidente da República e a oposição em geral e, em particular, com a liderança da Renamo, primeiro com o falecido Afonso Dhlakama e, mais tarde, com o seu sucessor, Ossufo Momade.

É este diálogo que criou condições para a assinatura, a 1 de Agosto de 2019, do Acordo de Cessação Definitiva das Hostilidades Militares, cuja cerimónia teve lugar no interior do Parque Nacional da Gorongosa, em Sofala, para, 5 dias mais tarde, a 6 de Agosto de 2019, testemunharmos o Acordo de Paz e Reconciliação, assinado em Maputo, capital do país. Leia mais...