A Gemfields, uma empresa mineira de pedras preciosas coloridas, no mercado internacional, anunciou a sua primeira venda de rubis moçambicanos, marcada para os próximos 15 dias em Singapura, um país do sudeste asiático.

A Gemfields possui sete milhões de quilates (1ct=0.20000g), sendo que menos da metade é que será colocada naquele mercado asiático.
Falando ontem, em Maputo, durante a apresentação da Montepuez Ruby Mining, o Presidente do Conselho Executivo (CEO, sigla em inglês) da Gemfields, Ian Harebottle, disse que os rubis moçambicanos serão vendidos em regime de leilão.
Explicou que a escolha de Singapura para a venda de rubis moçambicanos é pelo facto de aquele país ser de grande circulação de homens de negócios de todos os cantos do mundo.
Harebottle garantiu que, quando for feita a venda, o dinheiro voltará para Moçambique, através da Montepuez Ruby Mining, uma empresa produtora de pedras preciosas que trabalha em parceria com a Gemfields.
“Nós vamos fazer o leilão. Queremos o preço justo e que o dinheiro venha à empresa que produziu aquelas pedras. Eles podem pagar os impostos, podem pagar os seus trabalhadores e podem fazer o seu investimento, disse o CEO da Gemfields,” acrescentando que a empresa vai vender as pedras ao preço certo e para os sectores certos.
Não obstante o facto de nunca a empresa ter vendido os rubis moçambicanos, a Gemfields espera um retorno financeiro invejável à semelhança do que aconteceu na Zâmbia, onde em quatro anos a empresa conseguiu subir o preço das esmeraldas em onze vezes, em relação ao anterior preço. Cada cêntimo dessa venda retornou para Zâmbia.
Quando nós vendermos os rubis de Moçambique, queremos também que cada cêntimo volte para Moçambique, sublinhou, para de seguida garantir que a Gemfields vai ser uma das principais contribuintes de impostos no país, facto que poderá também contribuir para o crescimento da economia nacional.
Nós queremos ajudar a construir Moçambique, garantindo que, quando há uma lei, nós cumpramos e garantir que, quando exportamos, seja legalmente. Cumprimos a lei. Pagamos os impostos. Depois haverá dividendos. Esses dividendos, depois, vão para os accionistas que fizeram o investimento”, frisou ele.
Até este momento, a empresa encontra-se na fase exploratória, que vem desde 2012. Durante estes três anos, a empresa foi organizando as pedras mediante o tamanho, qualidade e graduação.  
A Gemfields opera no distrito de Montepuez, na província nortenha de Cabo Delgado, e já investiu cerca de 30 milhões de dólares norte-americanos no país.

Idnórcio Muchanga/domingo