Para Olavo Deniasse, director provincial dos Recursos Minerais e Energia de Manica “um dos constrangimentos colocados pelos investidores é a falta de energias em algumas zonas. Os 

investimentos, de alguma maneira, dependem disso. Podemos dizer que o Governo tem um plano de electrificação rural. Depois das sedes distritais, a partir do próximo ano havemos de electrificar os postos administrativos. Isso abrangerá algumas regiões onde temos investidores que se queixam da falta de energia. O posto administrativo da Serra Chôa, por exemplo, é uma destas zonas que está na agenda do Governo. Podemos assegurar aos investidores que o problema será resolvido”.