A Bolsa de Mercadorias de Moçambique (BMM) está em processo de reestruturação com vista a responder ao propósito para o qual foi criada, que é ligar o pequeno produtor à comercialização, com preços justos e assim acabar com alguns desmandos que têm acontecido. Este processo passa pela introdução de leilões de mercadorias que se espera que aconteça a partir do próximo mês de Abril.

A Bolsa de Mercadorias está a gerir sete complexos de silos que são compostos por 27 silos e respectivos armazéns. Cada complexo tem de 3 a 5 torres, também conhecidas por silos individuais, que têm a capacidade de armazenamento estimada em mil toneladas por cada unidade. 

Com estas infra-estruturas, Moçambique tem uma capacidade de armazenamento de 49.500 toneladas, mas actualmente estão em uso cerca de 28.500 toneladas. A justificação, segundo a Presidente do Conselho de Administração (PCA) da BMM, Victória Daniel Paulo, é que aquelas infra-estruturas foram erguidas para gerir grandes volumes de mercadoria.

Texto: Angelina Mahumane

This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

Leia mais...