OPERAÇÃO RUANDA E CABO VERDE: “Franceses” em dúvida para os “Mambas”

Mais uma contrariedade na preparação da dupla jornada decisiva para o regresso, 12 anos depois, a uma fase final do Campeonato Africano das Nações (CAN).

Como se não bastasse a suspensão há um mês do Moçambola, como forma de conter a propagação do novo coronavírus, e o “não” ao estágio pretendido pelo seleccionador nacional, Luís Gonçalves, agora chegam informações sobre a possibilidade da não autorização dos clubes em ceder os seus atletas para a data-FIFA de 22 a 30 de Março.

Os clubes franceses recorrem à deliberação da FIFA que retirou há meses a obrigatoriedade destes cederem jogadores às selecções por conta das restrições nas viagens e na imigração devido ao aumento de infecções pela covid-19.

Com esta decisão os clubes não são obrigados a ceder atletas quando existir a imposição de cumprir um período de quarentena ou auto-isolamento de pelo menos cinco dias quando regressarem aos países onde competem. E França é um dos países que obriga a quarentena após o regresso, por isso os dois internacionais que actuam naquele país europeu podem não ser dispensados para o duplo confronto de 24 de Março em Kigali contra o Ruanda e 30 do mesmo mês em Maputo frente a Cabo Verde. Leia mais...

Classifique este item
(0 votes)