Moçambique segura uma calculadora complicada

A Selecção Nacional de basquetebol sénior masculina de basquetebol segura uma complicada máquina calculadora à entrada para a sexta e última jornada do Grupo-B de qualificação ao Afrobasket do Ruanda-2021, em que defronta esta tarde (15h00) a sua congénere do Quénia, em Yaoundé, Camarões.

O “cinco” de Miguel Guambe chega ao derradeiro jogo com um saldo de cinco derrotas em igual número de jogos e tem de arrancar uma exibição a todos os títulos épica para virar a desvantagem de 17 pontos que tem no confronto directo com o Quénia, seu adversário desta tarde. Os quenianos chegam ao jogo diante de Moçambique depois de terem conseguido apenas uma vitória em quatro jogos disputados (até ao fecho da presente edição, ainda não havia iniciado o jogo diante de Angola, da quinta jornada). Só que, mais do que uma simples vitória que conservam, os quenianos tiveram uma tremenda vitória a 27 de Novembro último, em Kigali, Ruanda, por 79-62. Uma gigantesca diferença de 17 pontos que é o que Moçambique deve superar para garantir o apuramento ao Afrobasket.

Por isso, para Moçambique, as contas que se fazem são difíceis. Sem poder contar com nenhuma combinação de resultados para manter viva a esperança de qualificação, a equipa nacional é obrigada a vencer com uma diferença igual ou superior a 17 pontos. Se vencer por 17 pontos, outros critérios serão colocados em cima da mesa, desde o quoficiente de cestos marcados e sofridos em toda a campanha qualificatória para se decidir quem segue ao Afrobasket entre Moçambique e Quénia. Se ganhar abaixo de 18 pontos, está fora da competição. Se perder, “idem”.

NARCISO NHACILA
This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.
Classifique este item
(0 votes)
Última modificação: Sábado, 20 Fevereiro 2021 20:32