Incorporámos mais de cem atletas nas Forças Armadas – Patrício Canda, presidente do Matchedje

O Clube Desportivo Matchedje já incorporou cerca de cem atletas nas Forças Armadas de Defesa de Moçambique (FADM) e espera colher frutos nas modalidades de futebol, andebol, boxe e atletismo.

Em entrevista ao domingo, Patrício Canda, presidente da agremiação, abordou as aspirações do clube e realçou a ambição de retornar ao “Moçambola”.

Como está o Clube Matchedje, sem competições desportivas por causa da pandemia da covid-19?

Este é um clube militar e acabámos de fazer o que sempre se falava, mas não se concretizava. Todo o plantel é militar, não há a parte desportiva, mas existe a militar. O homem todo dia tem de se apresentar no quartel.

Todos os atletas já eram militares?

Conversámos com atletas civis que jogavam no Matchedje, explicámo-los as vantagens e muitos aderiram.

Quais são essas vantagens?

Principalmente no fim da carreira. Os nossos atletas, sobretudo de futebol, quando terminam a carreira, lamentamos. Para o caso do Matchedje, eles jogam e estudam, formam-se, e no fim da carreira serão colocados. Temos vários atletas a frequentar cursos de desporto nos institutos médios, faculdade e Escola de Sargentos.

São todos tratados como militares? Leia mais...

Classifique este item
(0 votes)