Adiadas eleições no Desportivo de Maputo

O presidente de Mesa da Assembleia Geral do Grupo Desportivo Maputo, João Figueiredo, adiou, ontem, a realização da assembleia-geral, em cuja agenda entre vários pontos pontificava a eleição da nova direcção do clube.

João Figueiredo justificou que o local escolhido não tinha condições para acolher a reunião, “uma vez que estamos no período da covid-19, e há muita gente que viola as orientações emanadas pelas autoridades da saúde para a prevenção desta pandemia”.

Contudo, a decisão não foi consensual entre os mais de 80 sócios votantes que acorreram ao local.

Os sócios vêem no adiamento mais uma sabotagem, alegadamente porque os membros da Mesa da Assembleia não estão preocupados com o futuro do colectividade que actualmente vive na incerteza, depois de ter sido excluído do Moçambola por não ter campo de futebol.

Figueiredo não anunciou a nova data da mais importante reunião da colectividade, nem conseguiu convencer os presentes sobre as causas do adiamento do encontro de ontem.

Há quem, de entre os sócios, acredite que o adiamento das eleições deve-se ao facto dos membros da mesa não concordarem com a lista de Alexandre Rosa, e não terem conseguido submeter a candidatura de outro indivíduo da sua confiança.

Aliás, quando o presidente da Mesa da Assembleia anunciou o adiamento por causa do número de sócios presentes, um grupo dos presentes sugeriu que deviam sair 40 membros, e o restante grupo ficava a decidir, em nome do clube.

Outros sugeriram que deviam entrar em grupos de 40 cada. A ideia foi igualmente chumbada por João Figueiredo que entendeu que não havia condições.

Entretanto, Alexandre Rosa, único candidato, tranquilizou os sócios e referiu que a sua lista irá analisar o desenvolvimento do processo, e decidir se pode ou não continuar na corrida. As candidaturas terminaram a 23 de Outubro.

Classifique este item
(0 votes)