EDITORIAL: Repetir a solidariedade

Aquando da passagem dos ciclones Idai e Kenneth que castigaram severamente as regiões Centro e Norte do país, uma corrente de solidariedade uniu os moçambicanos do Rovuma ao Maputo e do Zumbo ao Índico

Tudo isto aconteceu há mais de ano e meio e ainda são visíveis as marcas dessas feridas. Porém, o tormento voltou. Mudou o local e natureza do sofrimento.

Os causadores deste novo desconforto humano têm nome: terroristas. Falta-lhes o rosto ou rostos. Os atropelos perpetrados por este grupo inclui tudo de nefasto e configura um gritante atropelo aos direitos humanos. Mas, acreditamos nós, tarde ou cedo os responsáveis vão ser chamados à barra internacional de justiça.

Por agora, nós, moçambicanos, temos de voltar a esta arrojada sina de solidariedade que nos é característica. Cabo Delgado, indubitavelmente, precisa de todos nós.

As autoridades governamentais moçambicanas procuram, dentro das suas possibilidades, arrefecer o sofrimento dos concidadãos que convergem para a cidade de Pemba, sendo que o Instituto Nacional de Gestão das Calamidades Naturais (INGC) é pivot dessa hercúlea tarefa e engloba também as autoridades da saúde. Leia mais...

Classifique este item
(0 votes)