HOMILIAS INCOERENTES EM MOMENTO DE COVID-19

“Todo homem é um ser religioso que tem dentro de si uma força que o impele para Deus. Essa manifestação pode ser observada em toda a história da humanidade”. A afirmação é de Carl Gustav Jung, (1875-1961), renomado psiquiatra e psicólogo suíço fundador da escola da Psicologia Analítica.

Ele desenvolveu os conceitos da personalidade extrovertida e introvertida, de arquétipos e do inconsciente colectivo. Referiu-se a esse desejo profundo de buscar e adorar uma força e um poder superior quando escreveu no seu livro “The Undiscovered Self’ (O Eu e o Inconsciente). Eu estou recorrendo a este livro, (às ideias do seu autor), a propósito das prelecções dos diversos intervenientes que pretendem ser acalentadores dos crentes neste tempo da Covid-19. A minha rotina diária, consiste em, depois dos meus exercícios físicos e depois de alimentar-me fisicamente e preparar-me para enfrentar o dia, dirijo-me para a minha pequena biblioteca, a fim de buscar o alimento espiritual, naturalmente através dos Livros, (basicamente teológicos). Já porque, segundo o acima referido intelectual, a situação espiritual de uma pessoa é mais importante do que a sua condição financeira, e que, quando o crente ouve a Palavra de Deus, é alimentado, mas quando a lê, alimenta-se a si próprio. E o Salmista, enaltece: “a tua palavra é Lâmpada para os meus pés e, luz para os meus caminhos” (Salmos 119:105). Cansado de assistir e ouvir pregações, fechado em casa, no domingo passado decidi estender o meu campo de acção religioso, indo participar ao vivo num dos muitos Templos Evangélicos que pululam um pouco por cada esquina da cidade, e entrei no primeiro que se localiza a poucos metros da minha “palhota”. Leia mais...

Por Kandiyane Wa Matuva Kandiya

This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

Classifique este item
(0 votes)