Sócios do Desportivo forçam demissão da direcção

Sócios e adeptos do Desportivo de Maputo forçaram a demissão da direcção do clube. Eles alegam inoperância do elenco liderado por Inácio Bernardo, que acumulou uma dívida de nove meses com os atletas e colaboradores.

O anúncio do abandono da equipa de futebol pelo treinador Dário Monteiro precipitou o que há muito se adivinhava: a cisão entre os sócios e a direcção.

Os simpatizantes e adeptos entendem que a crise financeira que abala o clube resulta da inércia da direcção. Acreditam que, com outros protagonistas, o histórico clube pode recuperar os tempos de glória em modalidades como futebol, atletismo, natação e hóquei em patins. Sufocados, Inácio Bernardo e seus colaboradores aceitaram ceder os seus lugares e já foi convocada uma assembleia geral extraordinária para o próximo dia 31 de Outubro para eleição de uma nova direcção. No início do mês corrente, a família “alvi-negra” entrou em clima de crispação, com alguns sócios, adeptos e simpatizantes a decidirem-se por colocar o dedo acusador em riste à direcção da sua colectividade, por alegado interesse de esta vender o campo de Bobole. Lembre-se que em Maio deste ano o presidente do GDM, Inácio Bernardo, revelou, à margem da visita do secretário de Estado do Desporto, Gilberto Mendes, que havia reunido com o administrador de Marracuene, Shafee Sidat, para tratar do assunto do campo de Bobole, pertença dos “alvi-negros”, apresentando a perspectiva de requalificar o referido espaço. Inácio transmitiu a ideia de que não seria naquele local onde se construiria o campo do Desportivo, mas num outro mais perto da cidade e com maior dimensão.

Os simpatizantes do GDM deslocaram-se ao campo de Bobole para se manifestar sobre a alegada intenção da direcção “alvi-negra”. O movimento da alegada venda do espaço de Bobole teve pronta intervenção de Inácio Bernardo, através de uma nota de imprensa, que dizia que, “tendo a direcção do Grupo Desportivo de Maputo tomado conhecimento da preocupação de alguns sócios, adeptos do clube, por uma suposta venda do campo de Bobole, vimos informar que é completamente falso que o campo tenha sido vendido ou a sua venda esteja sequer a ser cogitada”.

A nota referia ainda que “a direcção do Desportivo autorizou e está neste momento a trabalhar no projecto de melhor aproveitamento do campo para que possa ser usado pela comunidade, pelo clube e pelas empresas da região de Bobole”.

Classifique este item
(0 votes)