Associação quer controlar piscinas privadas

A Associação de Natação da Cidade de Maputo (ANCM) está a levar a cabo acções com vista ao registo e controlo das piscinas privadas em funcionamento na capital do país e também nos bairros do município da Matola, província de Maputo.

O programa resulta do facto de constatar-se investimento no sector no privado em bairros como Khongolote e Tsalala, município da Matola, que abriram duas escolas que estão a formar nadadores com intensidade. Também na Matola, a Fundação Agha Khan inaugurou recentemente uma piscina de 50 metros. Na periferia de Maputo, o Centro Infantil de Marracuene e o Centro Infantil Confiança acolhem muitos nadadores principiantes.

O secretário geral da ANCM, Caetano Rúben, explicou ao nosso jornal que está em curso um trabalho em coordenação com estruturas do Governo, a vários níveis, para garantir o licenciamento e controlo da actividade.

“Estamos a trabalhar com estruturas do Governo. Em 2018 registámos dois afogamentos em piscinas oficiais, mas há muitos que podem acontecer na periferia sem o devido reporte. Queremos acabar com isso, queremos que as piscinas privadas funcionem com técnicos qualificados e reconhecidos pela associação. Qualquer incidente, a associação pode interferir. É para proteger inclusive os proprietários das piscinas. Queremos que funcionem na umbrela da associação. É o bem para os atletas e proprietários. Estamos a valorizar os técnicos qualificados, não pessoas que não tenham noções”, disse. Leia mais...

Classifique este item
(0 votes)
Script: