Moçambicanos brilham na Malásia

Já se imaginou a estudar numa universidade que oferece estágio a cada fim do ano? Ou numa outra que atribui dois diplomas no final do curso? Na busca de prestígio internacional, as universidades malaias fazem com que a formação dos estudantes aconteça ao ritmo do desenvolvimento tecnológico. É aqui onde cerca de uma centena de jovens moçambicanos busca o conhecimento.

Ana Cláudia, Naryah Adam, José Matola, Realdo Dias e Albano da Costa são uma pequena parte dos mais de 100 jovens moçambicanos que, por vontade própria, e outros levados pelo destino, foram parar à Malásia com o intuito de alargar os seus horizontes académicos e profissionais. E não se arrependem.

Não que a sua experiência por lá seja pêra doce, pois, para além do dever de se concentrarem nos estudos, são obrigados a empreender algum esforço para se adaptarem a uma terra onde começam a crescer alguns sinais de rejeição à população Africana.

É que, à semelhança dos moçambicanos, estão por lá jovens de outros pontos do continente africano que nem sempre se guiam por um comportamento agradável. No topo dessa infeliz lista estão alguns cidadãos nigerianos que remam contra a maré dos bons costumes, enquanto o grupo que representa Moçambique faz o melhor que pode para se destacar pela positiva. Leia mais...

 

Texto de Jorge Rungo

This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

Classifique este item
(0 votes)
Última modificação: Sábado, 04 Janeiro 2020 19:00