O líder destacado do “Moçambola”, União Desportiva do Songo, 13 pontos, recebe na tarde de hoje a Associação Desportiva de Macuacua, na última posição, com três pontos, em desafio pontuável para a sétima jornada da competição.

 

Adivinha-se uma tarde repleta de pressão sobre os dois conjuntos: é o primeiro encontro da equipa de Chiquinho Conde após provar o sabor amargo da derrota, quarta-feira passada, diante do campeão Ferroviário da Beira, por um a zero. Por outro lado, o conjunto de Nacir Armando, derrotado pelo Costa do Sol dois a zero, já não deve perder pontos se efectivamente tiver pretensões de permanência na primeira divisão.

Arlindo Silvano será o árbitro, coadjuvado por Carlos Langa e Adão Tchucane. César Colar será o quarto árbitro.

No Chibuto há um embate entre dois candidatos ao título: Clube do Chibuto e Ferroviário da Beira, com sortes diferentes na jornada anterior. A equipa anfitriã tem dez pontos e perdeu um a zero com o Chingale, enquanto os “locomotivas” ganharam ao Songo e somam agora oito pontos.

A Comissão Nacional de Árbitros de Futebol (CNAF) indigitou Simões Guambe para dirigir o desafio, auxiliado por Arsénio Marrengula e Carlos Manuel. Mário Tembe será o quarto árbitro.

O segundo classificado, Ferroviário de Maputo, onze pontos, vai a Quelimane enfrentar o 1.º de Maio, cinco pontos, num duelo que os visitantes têm tudo a seu lado para amealhar os três pontos.

Quarta-feira, os “locomotivas” de Lucas Barrarijo bateram o seu homónimo de Nacala por dois a zero, enquanto os “operários” foram cilindrados pelo Ferroviário de Nampula por quatro a zero.

Vai apitar o jogo o árbitro Eduardo Chissano, assistido por Joaquim Meirinho e Nelson Chichangue. Jorge Alves será o quarto árbitro.

O ressuscitado Costa do Sol, vitorioso na deslocação a Gaza sobre o Macuacua por dois a zero, recebe hoje o Desportivo de Nacala, alguns furos abaixo do que apresentou época passada, somando agora seis pontos. Não se adivinha uma tarde feliz para os forasteiros orientados por Antero Cambaco nesta partida a ser dirigida por Filimão Correia, coadjuvado por Venestancio Cossa e Claudio Macamo. Ema Novo será o quarto árbitro.

O Textáfrica, batido na deslocação a Maputo pela Liga Desportiva, 3-1, tem a oportunidade de redimir-se diante do Maxaquene, numa partida que se afigura complicada para ambos os conjuntos.

Os “tricolores”, dez pontos, dão-se bem em terrenos alheios e já venceram o Chingale e Macuacua, pelo que esse factor não será suficiente para os “fabris” do planalto, sete pontos, cantarem vitória.

O árbitro será Filimão Filipe, coadjuvado por José Mhula e Inocêncio Virgílio, sendo Armando Nhambo o quarto árbitro.

Em Vilankulo, o ENH, cinco pontos, enfrenta a UP de Lichinga, dez pontos. A equipa do Niassa revela-se atrevida e certamente vai dar muito trabalho a João Chissano e seus pupilos.

Pouco trabalho deseja-se à equipa de arbitragem liderada por Aníbal Armando, assistido por Osvaldo de Jesus, Castro Betane e Salvador Cumbe (quarto arbitro).

Em Nacala, o Ferroviário local, em apuros com apenas cinco pontos, enfrenta Chingale, também aflito com quatro pontos, num desafio que ambos estão pressionados a vencer para sair da zona de despromoção.

O encontro será dirigido por Paiva Dias, assistido por Júlio Muianga e Roda Mondlane. Júlio Gonçalves será o quarto árbitro.