CTO usa o teatro para humanizar a sociedade

Terminou na sexta-feira o MITO – Mostra Internacional de Teatro do Oprimido –, actividade integrada nas celebrações dos 20 anos da fundação do Centro de Teatro do Oprimido (CTO-Maputo), que vinham decorrendo nas instalações da colectividade na Feira do Hulene, na cidade de Maputo.

Três colóquios foram programados, o primeiro acontecido tendo como oradores Maria Atália, encenadora e professora de teatro na Escola de Comunicação e Artes (ECA), e Dioníso Bahule, crítico de arte e docente no ISCIM, que peroraram à volta dos temas “Espaço e Performance” e “O Espaço Existencial como Lugar da Reinvenção do Teatro”, respectivamente.

Na abordagem, sob moderação do jornalista Elton Pila, ambos os intervenientes foram unânimes em apontar a necessidade urgente de uma avaliação profunda sobre os caminhos trilhados pelos artistas com particular destaque para os que têm no teatro o espaço privilegiado para as suas actividades. Leia mais... 

Classifique este item
(0 votes)