Filme moçambicano ganha financiamento de 50 mil euros

O documentário “As noites ainda cheiram a Pólvora”, do realizador moçambicano Inadelso Cossa, ganhou recentemente um financiamento de 50 mil euros das produtoras internacionais Netherlands Film Fund + IDFA Bertha Fund Co-Production Scheme, iniciativa cinematográfica holandesa que apoia as co-produções minoritárias na categoria de documentário.

“As noites ainda cheiram a Pólvora” é uma longa-metragem na qual o realizador volta ao seu passado, neste caso, à aldeia da sua avó para questioná- -la por ter tornado a guerra civil numa ficção, ao dizer aos netos que os bombardeamentos não passavam de fogos de artifícios. Com o documentário, Cossa quer mostrar como está hoje a sua aldeia de origem e como as pessoas vivem com as memórias e que consequências advêm das lembranças traumáticas de uma guerra que ceifou muitas vidas. Com o filme, Inadelso quer igualmente mostrar ao mundo como está a vida das pessoas que escaparam da guerra. “Quero criar um diálogo sobre o passado por forma a criar condições para que não se repita, precipitando a desgraça na vida das novas gerações”.

Inadelso Cossa é cineasta moçambicano, nascido em 1984, em uma aldeia de Moçambique. É director de cinema. Foi premiado com o Estação Imagem-Mora como melhor documentário no FIKE – Évora International festival de curtas 2013 e prémio do Júri Especial no FFER – Rétife International Etnographic Film Festival 2013.

O seu primeiro documentário de longa-metragem, “Uma Memória em Três Actos”, foi financiado pelo IDFA Bertha Fund e participou do IDFA academy para consultoria de roteiro e pós- -produção. Em 2016 o filme foi seleccionado para o concurso de primeira aparição no IDFA – International Documentary Festival Amsterdam 2016 e, desde então, participa de festivais como o Festival Internacional de Cinema de Goteborg 2017, o Indie Lisboa – Festival Internacional do Cinema Independente de Lisboa 2017, o festival internacional de cinema de Durban 2017, o Festival Internacional de Cinema de Direitos Humanos de Nuremberg 2017, o Festival Internacional de Cinema de Zanzibar 2018, entre outros festivais importantes. Inadelso Cossa é autor de várias curtas-metragem. (Fim)

Classifique este item
(0 votes)