“Gala-gala” publica livros de Virgílio de Lemos e Rui de Noronha

Já estão disponíveis as obras “Um coração de Gozo”, poemas eróticos de Virgílio de Lemos, e “Por eu amar-te tanto”, de Rui de Noronha”. Com 150 exemplares cada, as duas obras de bolso, que chegam ao público pela editora Gala-Gala, são uma tentativa de resgatar os nomes e reviver os poetas com os seus versos mais marcantes. A finalidade é consciencializar a juventude sobre a poesia de amor feita em Moçambique.

Os livros, por enquanto, estão só disponíveis nas livrarias da cidade de Maputo, podendo posteriormente serem alocados em outros pontos do país.

António Rui de Noronha nasceu em 28 de Outubro de 1909, em Lourenço Marques, e morreu em 25 de Dezembro de 1943. Nunca chegou a concretizar, em vida, o sonho de publicar o seu livro de poemas.

Por seu turno, Diogo Virgílio de Lemos nasceu na ilha de Ibo, em Moçambique, a 29 de Novembro de 1929. Escreveu os primeiros poemas em 1944 e em 1947 colaborou no Jornal da Mocidade Portuguesa, onde foi redactor. O jornal teve um papel fundamental no panorama da literatura moçambicana quando um grupo de jovens com idades entre os 14 e os 22 anos – entre os quais Rui Knopfli, Noémia de Sousa e Fonseca Amaral – começaram a colaborar na publicação.

O poeta publicou as obras Poemas do Tempo Presente (1960) – obra apreendida pela PIDE, L’Obscene Pensée d’Alice (1989), Ilha de Moçambique: a língua é o exílio do que sonhas (1999), Negra Azul (1999) e Eroticus Mozambicanus (1999) são obras de Virgílio de Lemos, entre outras. Virgílio de Lemos perdeu a vida aos 84 anos de idade. (Fim)

Classifique este item
(0 votes)