NÁLIA AGOSTINHO: Cientista política desviada para as artes plásticas

A história que o semanário domingo traz hoje retrata um cenário de superação, determinação e persistência em seguir e fazer o que faz bem à nossa alma. Chama-se Nália Agostinho, artista plástica moçambicana.

Nascida em Maputo no ano de 1990, Nália é cientista política de formação versada em Marketing profissionalmente. Formou-se e viveu em Trento, Itália, durante oito anos.

Apesar da sua formação, ela sempre nutriu um amor especial pela arte, especificamente o desenho, contacto mantido desde a tenra idade por influência do seu falecido pai que era amante das artes plásticas e da música.

Aliás, por conta disso, Nália frequentou a Escola Nacional de Música, que concluiu com distinção em 2006.

“Nasci artista, mas para cumprir com o politicamente correcto, dediquei-me aos estudos em outras áreas para ter estabilidade financeira. E nestes últimos anos decidi abraçar o meu verdadeiro eu. Definitivamente e sem sombra de dúvidas, pretendo seguir a arte como carreira”, explica Nália Agostinho.

Retornada à casa, decidiu, há dois anos, iniciar profissionalmente a pintura como modo de expressão. E em Janeiro de 2020 teve a sua primeira participação como artista plástica numa mostra colectiva decorrida na galeria 16Neto, em Maputo. Leia mais...

TEXTO DE FREDERICO JAMISSE

This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

Classifique este item
(0 votes)
Script: