Massukos: as cordas vocais para afirmação do Niassa

Caiu-lhes o cordão umbilical em 1992. Beberam muito da cultura do Niassa, uma província por eles definida como sendo liminarmente agreste, pobre, mas que não tem pingo de vergonha. Uma das famosas canções do grupo diz precisamente isto.

Eles, os Massukos, mergulharam nesta condição, nela encontraram centro de gravidade e maturidade, pretendendo ser (e são) as cordas vocais do Niassa.

Projectam a interioridade da província movidos pela ideia de preservar e modernizar os seus ritmos tradicionais.

“Quando fundámos os Massukos pretendíamos divulgar o potencial cultural do Niassa e, ao mesmo tempo, configurar um recurso de diversão e distracção da sociedade, pois o país acabava de sair de uma guerra”, ressalta Feliciano dos Santos, compositor, vocalista e guitarrista da banda.

Numa recente visita ao Niassa, o Presidente da República, Filipe Nyusi, um dos dinamizadores da banda, destacou que os Massukos já não são apenas propriedade do povo daquela província.

O estadista moçambicano referiu que a banda reflecte a imensidão e a diversidade cultural de todo um Moçambique, que já não se compara com o de há vinte anos. Leia mais...

 

Texto de Bento Venâncio

This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

Classifique este item
(0 votes)
Última modificação: Sábado, 11 Janeiro 2020 21:11