O Centro Cultural Franco-Moçambicano (CCFM) lançou  recentemente um ciclo de actividades, nomeadamente palestras, concursos, dança, música, teatro, entre outras, para a celebração dos 20 anos da sua existência. 

O acto deu-se através da realização, primeiro, de um concurso de estudantes de francês com idade a partir de 18 aos 28 anos, no qual tinham de responder a trinta questões, com temas variados, orientados sobre Moçambique, França e grandes acontecimentos na história universal.

Pela ocasião foi apresentado  um  atelier de criação do livro dos 20 anos do CCFM, para o qual um grupo de jovens trabalhará com ilustradores e escritores profissionais a partir do corrente mês.

Segundo a directora do Franco-Moçambicano, Eden Martin, as festividades daquela casa das artes irão decorrer durante o ano. Serão  organizados variados projectos de cooperação França-Moçambique, sob o lema: Centro Cultural Franco-Moçambicano é um património binacional.

Serão desenvolvidas cinco formas de festejar, expressar, encontrar-se, criar, movimentar, maravilhar-se. A primeira acção, Expressar, começou no dia do lançamento das festividades. Em abril, período definido como Encontrar-se, haverá um espectáculo designado Renkonti, o qual será o encontro no palco de três expressões artística (música, dança e teatro de objectos).

No mês de Junho, definido como sendo de Criar, poder-se-á assistir a festa da música e  um espectáculo de dança designado Migration to Paradise. No mês subsequente haverá uma exposição designada CCFM um património binacional.

Em Outubro, considerado Movimentar, terá um festival de dança Kinani que já é tradição no franco, e também dentro do mesmo terá um festival designado danse L´Afrique danse, patrocinado por instituto francês, que tratará para Maputo uma grande selecção de grandes coreógrafos de África. Para encerrar as festividades, no mês de Dezembro, que o CCFM designa Maravilhar-se, terá o lançamento do livro dos 20 anos cuja criação será feita por um grupo de jovens que farão ilustrações e escrever a estória do Franco-Moçambicano.

“E para fecharmos com chave de ouro iremos realizar também, no mês de Dezembro, um concerto excepcional dos nossos 20 anos, onde contaremos com 10 músicos moçambicanos que marcaram os 20 anos do CCFM e muitas surpresas”, disse Eden Martin.

As festividades são organizadas pelo CCFM, embaixada da França em Moçambique, Ministério da Cultura e Turismo, em parceria com o FUNDAC, Móvitel, MCB Sociétè General, Matimba, Home Care, Cin, TIM, Rádio Cidade.

O Centro Cultural Franco-Moçambicano abriu as portas em 1995, está instalado no antigo hotel Clube, edifício colonial, construído em 1890. É uma entidade binacional, o seu conselho de administração é presidido pelo embaixador da França em Moçambique, pelo Ministro da Cultura e Turismo de Moçambique. Há 20 anos que funcionam com essa cooperação e acordo, sendo que tem difundido diversas culturas.