‒ defende Rehema Omar, uma das cozinheiras mais premiadas de Moçambique

Encontrámo-la em Maputo, no “take away” Taka Taka, explorado pela filha. Estava a relaxar depois de uma jornada de preparação e o respectivo servir do almoço, cujas ementas eram pratos típicos da baía de Pemba, província de Cabo Delgado. Sorriso contagiante, tal como a magia dos seus pratos que vistos de perto nos põem a salivar, ela é exemplo de uma mulher guerreira. O seu nome é Rehema Omar, natural de Balama, Cabo Delgado. Veio ao mundo a 28 de Novembro de 1970.

Teve uma infância atribulada por ter perdido os pais muito cedo. “Fui criada pela minha irmã mais velha. Perdi os meus pais muito cedo e, graças a Deus e à minha irmã, hoje tenho estas mãos de fada que me permitem cozinhar para ganhar a vida”.

Em busca da vida, Rehema decidiu pegar nas panelas e começou a cozinhar. “Comecei a vender comida na rua. O meu prato custava 75 Meticais. Um dia, o então Governador de Cabo Delgado José Pacheco, que gostava de jogar ténis, vinha do jogo e viu-me. Perguntou às pessoas quem era aquela senhora que vendia na rua, mas com tantos clientes. Responderam-no e depois falou comigo perguntando como poderia ajudar e se poderia vir re- ‒ defende Rehema Omar, uma das cozinheiras mais premiadas de Moçambique presentar, em Maputo, a província de Cabo Delgado”, explica Rehema. Leia mais...

Texto de Frederico Jamisse 

This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.


Câmbio

Moeda Compra Venda
USD 61,11 62,29
ZAR 4,16 4,24
EUR 67,19 68,49

12.09.201Banco de Moçambique

Quem está Online?

Temos 377 visitante(s) ligado(s) ao Jornal