Façam o que digo… não o que faço!

O Dia da Mulher Moçambicana foi celebrado de forma vibrante apesar das restrições impostas pela pandemia do novo coronavírus. É que a malta grama de uma boa festança, com comeretes e beberetes à grande a francesa…

É verdade que o momento não se presta a isso mas parece que o que é proibido é que atrai mais e então toca a juntar alguns cobres e comprar umas galinhazitas e umas garrafitas para celebrar. Assim foi…

E foi mesmo, apesar de uma campanha que correu nas redes sociais a apelar para que a mulherada não celebrasse a data porque “Cabo Delgado também é Moçambique”. O curioso é que algumas das promotoras da referida campanha apareceram depois - também nas redes sociais - em grandes farras.

Bula-bula, que também é solidário com a malta que está a sofrer em Cabo Delgado, acha que há alguma hipocrisia nalgumas dessas campanhas… quer dizer para ficar bem na fotografia dizem uma coisa, mas na calada da noite fazem precisamente o que condenam à luz do dia.

Vamos lá ser coerentes… moral, onde andas tu?!

Classifique este item
(0 votes)