Estado perde 2 mil milhões na importação de viaturas

... e rende 60 milhões de Meticais na regularização de matrícula estrangeira

Moçambique está a registar uma redução de receitas na importação de viaturas devido aos efeitos do novo coronavírus (covid-19) que resultaram no encerramento da maior parte das fronteiras desde Março, o que afectou o comércio internacional, sobretudo na circulação de mercadorias e escassez do dólar no marcado.

Como resultado disso, até meados de Novembro corrente, o Estado moçambicano arrecadou apenas cerca de seis mil milhões de Meticais de impostos resultantes da importação de viaturas contra oito mil milhões de Meticais cobrados em igual período de 2019. A cifra representa uma redução em pouco mais de dois mil milhões de Meticais. No mesmo diapasão, o custo total de importação, que compreende a compra e todo o processo logístico da viatura até ao destino, denominado CIF ou valor aduaneiro, reduziu de 46,5 mil milhões de Meticais no ano passado para 36,9 mil milhões no período em análise.

Até meados de Novembro corrente, o país importou 44.228 viaturas contra 53.387 no ano passado. Das viaturas importadas este ano, 21.354 são carros usados por um período de até sete anos e 22.874 com mais de sete.

Entretanto, como consequência da pandemia, o tráfego marítimo baixou significativamente e, com isso, o volume de importações, incluindo o de viaturas, que no caso de Moçambique a maior parte vem do Japão.

Além disso, em cumprimento do estado de emergência, uma das medidas aplicadas nos portos é a obrigatoriedade da quarentena de catorze dias a que os tripulantes dos navios eram sujeitos ao chegar ao canal de Moçambique. Leia mais...

Classifique este item
(0 votes)
Última modificação: Sábado, 05 Dezembro 2020 22:44