Mazelas do abandono do tratamento da SIDA na primeira pessoa

Gaza tem 24,4 por cento de seroprevalência. Com pouco mais de 223.301 habitantes infectados pelo HIV, já é vista como a província mais afectada do país.

Conta com 152 unidades sanitárias e 150 oferecem serviços de prevenção da transmissão vertical, 148 oferecem tratamento anti-retroviral (TARV) e as restantes apenas oferecem TARV na maternidade.

Dados disponíveis indicam que a província conta actualmente com 168.629 pacientes activos a receberem assistência nas diferentes unidades sanitárias. Destes 10.474 são crianças e 158.155 adultos.

Ensombram todo este esforço as taxas de abandono ao tratamento que se têm registado nesta província, uma das mais altas do país.

Os distritos de Chongoene, Chicualacuala e Mapai registaram o maior número de abandonos, enquanto o de Limpopo registou um aumento no número de óbitos.

Relativamente aos abandonos e óbitos, a província tem estado a enfrentar vários desafios, designadamente: exiguidade de activistas e ou educadores de par que apoiam esta actividade. Alguns activistas encontram-se nas unidades sanitárias das zonas Centro e Sul da província. Porém, uma grande maioria de unidades sanitárias com TARV continua sem activistas que apoiem nas buscas aos pacientes faltosos.

Além disso, a actividade de buscas tem ocorrido com muita deficiência devido aos endereços falsos fornecidos pelos pacientes durante a abertura do processo clínico bem como a facilidade que os pacientes têm em fornecer e trocar o número de telemóvel. Leia mais...

TEXTO DE BENTO VENÂNCIO

This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

Classifique este item
(0 votes)