A vida conhece o seu caminho

“Aqueles que não estão felizes com o que têm não serão felizes com o que gostariam de ter”– Sócrates

O ano caminha para o ocaso. 2020, para todos os efeitos e para a história, será considerado “um ano atípico” principalmente e sobretudo por causa do novo coronavírus e a resultante covid-19 que, pelas suas características, fez a humanidade recear a repetição da peste negra que assolou a Europa no Sec. XIV matando perto de 100 milhões de pessoas; ou a varíola que atormentou a humanidade por séculos; ou ainda a gripe espanhola que “engoliu” mais de 30 milhões de pessoas em 1918.

O desconhecido sempre teve o condão de assustar; por isso mesmo é que o mundo entrou em transe depois da eclosão da doença na China e o seu alastramento pelo mundo fora até a OMS a declarar uma pandemia. O medo tomou conta de todas as nações, desde as mais poderosas até as menos favorecidas, como é o caso de Moçambique.

Rapidamente medidas de contenção foram tomadas. Os países “fecharam” portas. Aprendemos novas expressões; “lockdown”, quarentena, distanciamento social, distanciamento físico, estado de emergência, estado de calamidade pública. Lavar as mãos passou a ser um imperativo internacional. Álcool passou a ser de uso obrigatório. Máscaras agora fazem parte da vestimenta diária. O mundo entrou numa nova espiral. Agora fala-se de novo normal…Leia mais...

Por Belmiro Adamugy

This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

Classifique este item
(0 votes)
Última modificação: Sábado, 21 Novembro 2020 21:41