Print this page

O que está em jogo na crise em Nagorno-Karabakh?

Novembro 14, 2020 820

Nas últimas semanas a região de Nagorno- -Karabakh tem estado a dominar as manchetes da imprensa internacional por razões nada abonatórias. Revitalizou-se o já longo conflito entre a Arménia e o Azerbaijão sobre o controlo da região. Mergulhada em contraditórios interesses etno-territoriais, a região de Nagorno-Karabakh é também palco de projecção de poder de potências externas. Este artigo visa fazer uma leitura breve da situação de crise que se vive naquela região, retomando ao passado para compreender a origem do conflito que opõe arménios e azerbaijanos.

As duas partes em conflito, Arménia e Azerbaijão, baseiam as suas reivindicações em argumentos diferenciados. A Arménia exige o controlo da região apoiando-se na dimensão étnica da sua composição populacional. O ponto é que Nagorno-Karabakh é habitado maioritariamente por arménios. O Azerbaijão, por seu turno, invoca razões territoriais, advogando a inseparabilidade do território do Grande Karabakh, que tem sido considerado legalmente da sua jurisdição. Após algumas disputas sangrentas em 1918 e 1919 as duas partes assinaram um acordo provisório que colocou o controlo da região sob jurisdição do Azerbaijão, na condição de que a população arménia manteria a sua autonomia cultural e administrativa.

Seguiram-se algumas disputas territoriais e imprecisões sobre quem manteria o seu controlo, mas tudo isto “ficou resolvido” quando os bolcheviques conquistaram todo o Sul do Cáucaso e tanto o Azerbaijão como a Arménia tornaram-se Repúblicas Socialistas Soviéticas. Com efeito, durante grande parte do século XX, os dois países fizeram parte da já extinta União Soviética, um Estado imperial que havia sido criado após a Revolução de Outubro de 1917 na Rússia. Depois da Revolução, as autoridades russas enveredaram por campanhas de conquista de territórios tendo estabelecido a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS), uma superpotência que depois da Segunda Guerra Mundial competiu com os EUA, capitalistas, pelo domínio do mundo, no que ficou designado como Guerra Fria. Enquanto parte da União Soviética, Nagorno-Karabah e Nakhichevan ficaram sob jurisdição do Azerbaijão, ao passo que Zangezur ficou parte da Arménia.

Por Edson Muirazeque *

This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

Classifique este item
(0 votes)