Tecnologia no combate à pobreza em Moçambique

O primeiro desafio que temos é cada um de nós compreender que vivemos a era das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC), por isso temos de aceitar esta nova forma de estar se quisermos, rapidamente, vencer a pobreza, apela o estadista moçambicano.

Filipe Nyusi chama atenção ao facto de a economia global ser cada vez mais dominada pela economia do conhecimento, cujos traços encontram a sua centralidade no desenvolvimento da ciência, da tecnologia e da inovação.

Destaca um pormenor importantíssimo: o impacto desta mudança é bastante profundo e permite adoptar novas práticas de produção, comercialização e consumo de bens e serviços.

De notar que em 2018 o Executivo moçambicano definiu, através da Política para a Sociedade de Informação, a estratégia sobre como tornar Moçambique um país em que todos, sem discriminação, tenham acesso e façam uso das tecnologias de informação e comunicação para o seu próprio benefício e da sociedade.

Os objectivos da Política para a Sociedade de Informação resumem-se em: assegurar o desenvolvimento do capital humano, melhoria de prestação de serviços de saúde, promoção do desenvolvimento do sector privado, promoção da competitividade na economia, promover a gestão ambiental, modernização da administração pública, entre outros.

No ano passado, a Política para a Sociedade de Informação foi transformada em Plano Estratégico para a Sociedade da Informação 2019-2028, na verdade o primeiro plano que operacionaliza a Estratégia para a Sociedade da Informação 2019-2023.

De igual modo, as políticas e estratégias de Moçambique sobre tecnologias de informação e comunicação, que visam a Transformação Digital, estão alinhadas com a Estratégia Africana das TIC, na Agenda 2063 e nos Objectivos de Desenvolvimento Sustentável e destacam-se como vitais na implementação das políticas para o desenvolvimento económico, a integração social e a protecção do meio ambiente.  Leia mais...

Classifique este item
(0 votes)