EDITORIAL: A paz é o caminho

Estudos diversos apontam que a paz é um processo contínuo, permanente, que exige tolerância. Concordamos plenamente.

Mahatma Ghandi, reputada personalidade indiana e universal que foi advogado, nacionalista, anti-colonialista e especialista em ética política, diz-nos algo melhor sobre o tema: “Não há caminho para a paz, a paz é o caminho”.

Moçambique assinalou, a 6 de Agosto último, o primeiro aniversário da assinatura do Acordo de Paz e Reconciliação Nacional de Maputo e que tem como principal componente o desencadeamento do processo de Desmilitarização, Desmobilização e Reintegração (DDR) das forças residuais da Renamo.

Nas medidas de excepcão - marcadas pela pandemia da covid-19 - o país celebrou, como pode, a consagração de um entendimento que encerrou a tenebrosa página de violência e conflito político-militar que Moçambique vivia desde 2014.

Ex-guerrilheiros da Renamo (ler reportagem nas páginas 16, 17 e 18) mostram-nos o encanto trazido pelo fim da guerra, descrevem momentos inolvidáveis, únicos, de reencontro vital com o civismo, com a vida plena, e sublinham que a paz é sempre melhor que a guerra, porque sabiamente abre a porta de desenvolvimento. Leia mais...

Classifique este item
(0 votes)
Script: