PROFETAS VERSUS CURANDEIROS: QUEM CONVECE QUEM?

Aprendi muito das minhas duas saudosas avozinhas (mas antes de prosseguir vou abrir um parêntesis para dizer algo sobre elas, porque sempre que me lembro delas fico com uma dor no peito, pois, apesar de todos sabermos que os avôs, em regra, partem primeiro para o Além que os netos, ninguém está preparado para ver isso acontecer, pois eles são muito importantes para nós. Nunca me esquecerei de tudo aquilo que me ensinaram:

o carinho que me davam como ninguém e os lindos conselhos que me deixaram. Descansem em paz, queridas avós!). Fecho parêntesis, e, continuando, digo que uma das coisas que aprendi delas é que eu devia evitar a todo o custo discutir com um doido, pois as pessoas poderão não saber distinguir qual dos dois contendores é o verdadeiro doido. De facto, existem discussões que não lembram nem ao Diabo. Uma dessas (fúteis discussões) é o que presenciei há dias, numa dessas televisões. Era um debate entre um auto-intitulado profeta da nossa praça e uma curandeira, vulgo “médica tradicional”. O “pomo da discórdia” era a proveniência e sacralidade do poder de cada um deles. O profeta afirmava a pés juntos que o poder espiritual dele provinha de Deus que o chamou para salvar almas perdidas, enquanto, na sua opinião, o da curandeira provinha de Satanás. Por seu turno, a curandeira dizia que, pelo contrário, o mesmo Deus deu a ela também o poder de conhecer plantas curativas. E mais! Que ela nunca em nenhum momento da sua vida sonhara ser curandeira. Leia mais...

Classifique este item
(0 votes)
Script: