PARA O SECTOR MINEIRO E DE HIDROCARBONETOS: Urge formar quinze mil jovens

O consórcio liderado pela Total anunciou na sexta-feira que já tem os 15 biliões de dólares, dos cerca de 20 biliões, que deve investir para a exploração de gás da Área-1, localizada em Afungi, na província de Cabo Delgado. A bola passa para o lado do Governo moçambicano que deve acelerar o programa de formação de jovens para ocuparem as vagas que serão criadas na fase de exploração porque, de outro modo, aquelas serão preenchidas por pessoas de outras latitudes.

Com a confirmação da disponibilidade destes fundos, o projecto da Total (ex-Anadarko) passa a ser o maior investimento financeiro para um empreendimento realizado em África. Os 15 biliões de dólares são fruto de empréstimos feitos por bancos e agências de crédito sediados em países que estão a produzir componentes necessários para a exploração e processamento do gás.

Para o director geral da Total, Ronan Bescond, a assinatura do pacto financeiro confirma que o projecto é sólido, que os investidores confiam no operador e no consórcio, acreditam nos empreiteiros e assumem que há uma boa colaboração entre este grupo e o Governo para alcançar os objectivos.

É por esta razão que a directora dos Recursos Humanos do Ministério dos Recursos Minerais e Energia, Marta Pecado, afirma que o maior desafio que o país tem pela frente é assegurar a formação de 12 a 15 mil jovens em diferentes áreas relacionadas com a geologia, minas, petróleo e gás que deverão estar à disposição das empresas destes ramos que vão surgindo no país. Leia mais...

Texto de Jorge Rungo

This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

Classifique este item
(0 votes)
Script: