Páscoa incomum

Cristãos em todo o mundo vivem uma Páscoa atípica, marcada pelo recolhimento e união em oração familiar em torno da compaixão em Cristo. O Domingo da Páscoa que hoje se celebra é uma das mais importantes comemorações da comunidade cristã, por quanto marca a morte e a ressurreição de Jesus Cristo, tido como o salvador da humanidade do pecado.

Diferentemente do que aconteceu noutros anos, desta vez nas ruas, incluindo em Jerusalém, terra natal de Cristo, não se espera grandes celebrações devido ao impacto da pandemia de covid-19.

A Igreja Católica não se mostrou alheia ao momento de privação. O Papa Francisco traçou na passada Sexta-feira Santa (dia da morte de Jesus para a maioria dos cristãos) passos de uma semana considerada inédita, num ambiente de isolamento e sem as habituais celebrações públicas da Páscoa.

O pontífice mostrava ao mundo o começo de uma Semana Santa atípica, marcada por um momento de profunda reflexão em torno das saídas que o mundo inteiro deve encontrar para a crise imposta pela covid-19 que já matou até agora mais de 100 mil pessoas no mundo, pelo menos até ontem. Leia mais...

Classifique este item
(0 votes)