Malawi anula eleição presidencial: uma vitória para a democracia?

A imprensa internacional sobre África esteve, semana passada, dominada por mais uma quebra de “tabus”, desta vez no Malawi. Cinco juízes do Tribunal Constitucional daquele país ordenaram a anulação das eleições presidenciais de Maio de 2019 e impuseram um prazo de 150 dias para a realização de um novo pleito eleitoral. Para os juízes, a reeleição de Peter Mutharika esteve envolta de inúmeras irregularidades, o que o torna um presidente “indevidamente eleito”.

A notícia foi recebida com muitos elogios por aqueles que se opõem ao governo de Mutharika. Aliás, há até uma crença de que a decisão do Tribunal representa um “ganho para a democracia” malawiana.

No entanto, entre o júbilo dos opositores e o espanto dos apoiantes de Mutharika reside uma questão: estará o regime político Malawi a evoluir para uma real separação de poderes ou esta novela não passa de um teatro para acalmar a opinião pública? Leia mais...

Classifique este item
(0 votes)