Nas sombras do Idai, população mais consciente dos riscos

Uma pequena nuvem escura no céu ou pequeno sopro de vento desperta em Sofala memórias amargas de um ciclone cujo nome ninguém quer lembrar. A chuva que cai por estes dias, seja em menor ou maior quantidade, revela o suficiente a respeito da vulnerabilidade e desespero de gente que conjuga o verbo sofrer no presente.

Desde o Idai a população é mais sensível ao apelo das autoridades na evacuação das zonas de risco. Em Nhamatanda, Búzi e na cidade da Beira a população saiu a tempo e evitou a morte de pessoas, reportando-se até ao momento cinco óbitos em toda a província.  Entretanto, habitações recentemente refeitas depois do ciclone estão a cair. Estima-se que tenham sido inundadas 4.699 até ao momento, quando se sabe que muita chuva ainda vem aí durante os meses de Fevereiro e Março. Leia mais...

Classifique este item
(0 votes)