Há histórias que nunca deviam ser contadas por muitas razões; uma delas é que tais histórias parecem saídas de mentes adoentadas pelo facto de serem burlescas, mas… enfim. Vamos a ela… não é que um tal de JN (correspondente baseado na Zambézia de um semanário ribeirinho baseado em Maputo) pediu uma boleia na caravana do ministro das Obras Públicas, Habitação e Recursos Hídricos, João Machatine, algo que foi aceite sem problemas.

Sucede que, chegados à cidade da Beira, o bom do JN vê os “colegas” de viagem bem dispostos e toca a pedir ajudas de custo alegadamente porque estava integrado na comitiva (esquecendo-se de propósito que havia pedido boleia). Como não foi atendido, arranjou formas de ter o contacto do ministro e mandou uma SMS esclarecedora: “ou me dão ajudas de custo ou publico uma notícia cabeluda contra Vossas Excelências”. Que a tal notícia seria um escândalo e poderia conduzir o próprio ministro ao descrédito total e inclusive conduzi-lo à “queda”.

O ministro, ao que Bula-Bula soube, manteve-se quieto. JN, como havia prometido, escreveu um texto dizendo que o ministro João Machatine havia “tratado muito mal os jornalistas que cobriam a sua visita de trabalho”. O engraçado é que a matéria estava acompanhada de uma fotografia onde Machatine estava sorridente e os jornalistas que integravam a sua comitiva alardeavam boa disposição.

Leia mais...