O estilo de vida dos residentes dos distritos de Palma, Mocímboa da Praia, Mueda, Muedumbe, Palma e Nangade está a ganhar um novo rumo, uma vez que os comerciantes assumiram que estão já criadas as 

condições ideais para manter os seus produtos em bom estado de conservação, particularmente a carne e o peixe.

Os jovens empreendedores estão igualmente a competir com os antigos comerciantes por via do desenvolvimento de novas actividades, que anteriormente não eram fazíveis, como são os casos de barbearias, talhos, pontos de carregamento de telefones celulares, assim como restaurantes, barracas e take away, com os quais melhoram a qualidade das suas vidas e sustentam as respectivas famílias.

Aliás, esta nova realidade está já a trazer a competitividade no seio dos comerciantes, pois enquanto, alguns pensam em abrir talhos para permitir que a população coma carne processada com higiene, outros avançam para a construção de locais de diversão diurna e nocturna.

Outros ainda solicitam corrente eléctrica para as respectivas barbearias, havendo pura concorrência entre estes, sendo que em alguns estabelecimentos, o cliente faz a barba enquanto carrega o seu telemóvel. Só pelo carregamento do telefone pode-se pagar até 10 meticais.

Tal como ficamos a saber naqueles distritos não existiam postos de venda de combustível, pelo que os poucos vendedores ambulantes que se aventuravam neste negócio mediam este líquido à caneca, garrafas ou bidões, o que tornava o combustível muito mais caro e difícil de adquirir.

Porque este cenário é forçado a mudar, por força da nova realidade, os principais consumidores de combustíveis, que são os comerciantes viram a sua factura reduzir drasticamente dos exagerados 25 mil meticais mensais, para uma média de três mil meticais, dependendo do tipo e volume de negócio, assim como da distância a percorrer até ao ponto de compra do combustível.

Por seu turno, os pescadores dos distritos costeiros de Palma e Mocímboa da Praia, os vendedores de peixe fresco eram obrigados a baixar o seu preço caso a noite chegasse e a afluência de compradores fosse reduzida. Para evitar grandes prejuízos, recorriam ao sal para conservar o peixe.