Osoperadores económicos do ramo do comércio na província de Nampula garantem fartura de produtos alimentares essenciais antes, durante e depois da quadra festiva que se avizinha.

O compromisso foi assumido sexta-feira num encontro entre aquela classe e o sector da Indústria e Comércio de Nampula.

Na ocasião, as autoridades deixaram um aviso de que não vai tolerar situações de especulação de preços, venda de produtos de qualidade duvidosa ou com prazos vencidos, porque a lei existe para ser aplicada. 

Os representantes garantiram ter importado produtos alimentares essenciais, como arroz e óleos, assim como frango para assegurar o abastecimento do mercado a partir desta semana, como forma de assegurar que os consumidores façam as suas compras sem grandes sobressaltos.

Com efeito, Nampula dispõe de cerca de 520 toneladas de arroz importado, quantidade que adicionada ao stock existente nos estabelecimentos comerciais é suficiente para satisfação das necessidades do mercado durante a quadra festiva.

Em relação ao óleo alimentar, açúcar, ovos, carne bovina, não há sinais de apreensão pois, a produção local é satisfatória.

As empresas de energia eléctrica e água asseguraram, através dos respectivos representantes que dispõem de um plano de contingência de modo a assegurar que durante a quadra festiva a prestação daqueles serviços essenciais não falhe.

Oded Jacinto, da Electricidade de Moçambique, reconheceu que as oscilações da energia eléctrica constituem um desafio da sua empresa.

Explicou que para aliviar a pressão sobre a subestação de Nampula, a EDM deverá alocar, dentro de dias, uma unidade móvel à capital provincial para o fornecimento aos distritos de Ribáuè e Murrupula.

Por seu turno, Tembo João Tembo, director operacional do Fundo de Investimento e Património Água em Nampula, referiu que os níveis de captação a partir da albufeira, estimados em 20 mil metros cúbicos por dia, serão mantidos até a quadra festiva.

Disse que apenas factores adversos fora do controlo da instituição poderiam afectar o fornecimento de água.

Enquanto isso, a Coca-Cola referiu que sua fábrica em Nampula está preparada para satisfazer a procura de refrigerantes durante a quadra festiva, tendo sido accionado.

Jacinta Mbojane representante da multinacional ao encontro disse que o segundo turno vai ser accionado brevemente para que se possa garantir a produção e armazenamento de refrigerantes à medida das necessidades do mercado regional, incluindo da vizinha província da Zambézia.

 

Especulação

não será tolerada

 

Nas vésperas das festas da Páscoa, do Ramadão, do Dia da Família e do Fim-de-Ano, a província de Nampula tem registado uma subida de preços, sobretudo dos produtos alimentares básicos e bebidas.

O fenómeno, segundo classificou Ilídio Marques, director provincial da Indústria e Comércio repete-se, igualmente, quando a Comissão Consultiva do Trabalho discute o salário mínimo nacional.

“Agora estamos munidos de instrumentos legais para penalizar qualquer infractor da legislação comercial em vigor, sobretudo aqueles que recorrem à especulação de preços para atingir os seus intentos. Basta de apelos, vamos partir para a acção contra aqueles comerciantes que agravam os preços ou colocam no circuito comercial produtos com prazos de validade vencidos - disse Ilídio Marques.

 Ilídio Marques lembrou que a recente implantação da Inspecção Nacional das Actividades Económicas em Nampula está a produzir efeitos positivos.