Texto de Frederico Jamisse

This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.
 

 

O seu nome é Kendal Manuel. É jovem moçambicano a residir nos Estados Unidos da América. Tem vinte anos de idade, 1,93 centímetros, 86 quilos, é extremo e joga no Oregon State Beavers. Estuda na Universidade do Estado de Oregon. A sua disposição física e performance tornam-no elegível para  o draft do NBA 2020.

Saiu de Moçambique aos sete anos de idade e foi viver nos Estados Unidos. Filho de Paulo Manuel, conhecido nos meandros do desporto por Potolas (uma referência no basquetebol moçambicano), Kendal encaixa-se melhor no provérbio filho de peixe sabe nadar. Seguiu as peugadas do pai e hoje já veste a camisola da selecção nacional de basquetebol.

Estou no basquete porque vim de uma família que joga basquetebol. A influência em mim foi fácil”, explica Kendal.

Foi convocado pela primeira vez para jogar na selecção nacional e juntou-se à comitiva que participou recentemente em Senegal nos jogos de apuramento para o mundial de basquetebol que vai decorrer em 2019 na China. Fez três jogos e conseguiu 61 pontos.

Vestir a camisola de Moçambique tem um significado especial para mim. Primeiro porque estou a representar o meu país e segundo porque o historial do basquetebol na minha família é muito forte. O meu pai e alguns amigos dele foram praticantes ferrenhos desta modalidade. E eu como filho hoje visto a camisola da selecção que é um privilégio que muitos gostariam de ter”.

Ao falar da sua história e relação com Moçambique, Kendal afirma: “Não é a primeira vez que venho cá. Aliás, vivi cá antes de ir para os Estados Unidos. Saí de Moçambique quando tinha sete anos de idade e tenho uma relação de afecto com o meu país”.

Depois de tanto tempo, Kendal veio visitar os pais. “Gosto do país e quando cheguei senti-me como uma pessoa que aqui vive normalmente. Gosto da simpatia das pessoas e da beleza de Moçambique”.

Em relação aos estudos, o extremo afirma que estuda Ciências Políticas. Motivação: “Quero ser político porque vejo todos os dias muitas mudanças no mundo. E eu acredito que posso influenciar certas mudanças, ajudando e dando o meu contributo”.

O seu dia-a-dia é repartido entre a universidade e treinos. Como atleta, tem uma vida ligada a exercícios físicos. “Normalmente acordo às 07h00 da manhã. Vou à rua cumprir a minha agenda, incluindo, naturalmente, os estudos e volto para casa para ver televisão, relaxar e dormir. Claramente que os exercícios e bastante treino não faltam”.

Questionado sobre as suas preferências na televisão, Kendal diz que assiste ISPN. Sobre a leitura, é peremptório ao afirmar: “Não leio livros. Uso outras ferramentas electrónicas que disponibilizam toda informação sobre a política, ciência e outras coisas da vida que nos interessem”.

Tal como todo jovem, Kendal tem um sonho. “Um dos meus sonhos é jogar na NBA, que é a exposição máxima de um atleta de basquetebol nos Estados Unidos. Para tal tenho estado a treinar bastante e a dar o meu máximo para que consiga alcançar este objectivo”.

Aos jovens moçambicanos que almejam praticar basquetebol e brilhar, o jovem moçambicano aconselha: “Por favor, não desistam dos vossos sonhos. Demonstrem o vosso talento e trabalhem afincadamente para satisfazerem o vosso ego e concretizar o sonho”.

 

Pub

Câmbio

Moeda Compra Venda
USD 59,96 61,15
ZAR 4,17 4,25
EUR 68,7 70,06

19.10.201Banco de Moçambique