Quando a rede mosquiteira parece mais útil à horta e pesca

Revisto: Benjamim

Texto: Bento Venâncio

Usam redes mosquiteiras para cerco de hortas e pesca. Desfrutam tão pouco das mesmas quando na equação está a sua própria protecção de picadas de mosquitos. Esta atitude de alguns cidadãos de Manica (e não só) tira sono ao Ministério da Saúde (MISAU) e parceiros que investiram milhares de dólares na prevenção da malária, visando sobretudo a protecção de mulheres grávidas e suas crianças que podem sofrer as mazelas mais graves, com anemia à mistura.

 

Em Moçambique, a malária constitui um dos principais problemas de saúde pública. Segundo o MISAU, tal deve-se a factores socioeconómicos (pobreza e meios de prevenção inacessíveis), climáticos e ambientais (temperaturas e padrão de precipitação) que favorecem a sua transmissão ao longo de todo o ano, atingindo o seu ponto mais alto após a época chuvosa (Dezembro a Abril).

O “Plasmodium falciparum”é apontado pelas autoridades sanitárias como o parasita mais frequente no país, sendo responsável por cerca de 90 por cento de todas infecções maláricas.

Leia mais...

Editorial

Carreiras dos professores primários e secundários
domingo, 07 janeiro 2018, 00:00
Decididamente, 2018 poderá ser ano memorável para os professores dos ensinos primário e secundário, com a introdução, em breve, de carreiras profissionais, medida... Leia Mais

Versão-Impressa


Opinião

Desporto

Nacional

Breves

Sociedade

Reportagem

Cultura

Em foco

Temos 527 visitantes em linha

Banca de Jornais

Sociedade do Noticias
  • EconomiaEconomia
  • CulturaCultura
  • DomingoDomingo
  • DesafioDesafio
  • NotíciasNoticias

Conselho de Administração

Bento Baloi Presidente

Rogério Sitoe Administrador

Cezerilo Matuce Administrador