EFEMÉRIDE: Yolanda é minha segunda mãe

–Jimmy Gwaza, artista moçambicano, esposo de Yolanda Chicane, da banda Kakana

Como caracteriza Yolanda Chicane?

Yolanda é batalhadora e muito humilde. Ela sabe dividir os momentos, ou seja, sabe como se comportar em cada ocasião. É aquela mulher que mesmo depois de horas e horas de trabalho quando chegamos à casa e encontra coisas desarrumadas despe-se da cara de artista e fica uma autêntica dona de casa. Limpa e coloca tudo no seu devido lugar. E é perfeccionista.

Sabe cozinhar?

A minha esposa é uma cozinheira de mão cheia. Quando se faz à cozinha sabemos logo de antemão que comeremos boa comida. No entanto, devido à nossa rotina de trabalho nem sempre pode estar ali a preparar os alimentos.

O que ela mais prepara quando entra na cozinha?

Geralmente, faz pratos na base de alimentos moçambicanos mas que têm um toque da gastronomia de outros quadrantes. Não saberia explicar tudo, pois só ela sabe como faz aquilo. Mas é muito bom. Faz comida saudável e muito saborosa. (risos)

O que é que, mesmo com a vossa rotina, ela não deixa de fazer em casa?

Não dispensa cuidar da casa, do jardim e, sobretudo, do nosso quarto. Gosta de tudo no seu devido lugar. Eu, por exemplo, dou-lhe muito trabalho.

Explique-se…

(risos)! Desorganizo as coisas com muita facilidade e ela está sempre atrás para desfazer os meus estragos. (risos). Ela é única mesmo. Dou graças a Deus por uma mulher como ela ter cruzado o meu caminho.

Falando nisso, conte-nos um pouco como se deu este processo de um cruzar na vida do outro…

Não me esqueço disso. Tudo começou no Splash, actual Elvi´s Bar, no ano de 2004. Lá estava eu e a minha banda a actuarmos quando, repentinamente, saiu do público uma jovem que pediu para cantar por um instante connosco. Aceitámos o pedido e foi tipo… “no que é que vai dar”? A jovem pegou no microfone e mostrou o que “valia”. Fiquei maravilhado com a voz que ouvira. Para completar: pediu a minha guitarra e logo começou a dedilhar. Aí… foi espectacular. Apaixonei-me. E assim tudo começou.

O que significa ser marido de Yolanda?

É sinónimo de responsabilidade. Ela é uma mulher bastante sensível e realista. Portanto, tenho de estar à altura dela, ou seja ser sério, pois ela é assim também. Tenho o cuidado de evitar feri-la e criar danos irreversíveis. Yolanda é uma mulher emotiva, se a decepcionasse estaria a ser um tolo.

Como a vê profissionalmente?

É uma cantora excepcional. Profissional. Por mais que não fosse minha podes crer que diria a mesma coisa. Nutro uma grande admiração pela minha esposa, não só pelo talento mas por ela ser uma mulher.O que mais gosta nela?

(risos)… Esta pergunta é difícil. Não há uma resposta em palavra ou em frase. É que eu simplesmente amo aquela mulher. Ela faz parte de mim e completa-me. Sou o ritmo e ela é a voz.

Tal como você, Yolanda é artista e isso obriga-a a estar muitas vezes exposta às noites. Isto não tem trazido problemas ao vosso lar?

De maneira nenhuma. Somos amigos, trabalhamos juntos e não há problema nisso. Para além de que ela é uma mulher que sabe estar e que me ajuda bastante em termos de ideias e não só.

DIA-A-DIA

Yolanda tem participado de encontros familiares?

Sim. E por não ter “asas” nem se nota que é uma artista bastante reconhecida. É tão simples que todos se sentem à vontade com ela. Atrai pessoas. Fora dos palcos ela é uma mulher tal como as outras.

Descreve-a como nora.

Ela e a minha mãe têm uma relação muito boa. Digamos que tive a sorte de ter duas mães bastante simples. Elas não se vêem como concorrentes, antes pelo contrário, ajudam-se a cuidarem de mim. Saio a ganhar… (risos)

O que Yolanda costuma comer?

Ela tem uma dieta bastante regrada. Come pouco arroz e carne, mas “abusa” dos legumes, verduras. É extremamente preocupada com a boa forma por conta disso frequenta também o ginásio, aliás ela é viciada em actividades desportivas.

Como assim?!

Já foi jogadora de futebol, basquetebol e também foi praticante de atletismo. Daí o seu fascínio pelo ginásio. No entanto, de quando em vez não resiste a doces e adora uma boa matoritore (doce de coco).

Jimmy tem ajudado nos afazeres de casa?

Tenho até vergonha de responder (risos). Mas tenho de ser sincero. Não sou muito de ajudar nos afazeres de casa, sobretudo de segunda a sábado porque volto do trabalho cansado e tudo o que quero é descansar.

Que mensagem deixa para a sua esposa?

Só quero dizer que a amo muito e desejo-lhe tudo de bom. Para além disso, quero dizer a todos, ao artista em especial, que não permitamos a interferência dos nossos trabalhos em casa. Que amemos mais, sejamos muito próximo dos nossos parceiros.

Texto de Maria de Lurdes Cossa

 

  

 

 

  

 

 

 

 

 

 

     

  

 

   

 

 

Versão-Impressa


Editorial

Aprendizagem, amizade união e competição
domingo, 16 julho 2017, 00:00
Arrancou sexta-feira última na cidade de Xai-Xai, num ambiente desusado, cheio de cor, luz e alegria, a 13.ª Edição do Festival Nacional dos Jogos Desportivos Escolares Gaza... Leia Mais

Opinião

Desporto

Nacional

Breves

Sociedade

Reportagem

Cultura

Em foco

Temos 328 visitantes em linha

Banca de Jornais

Sociedade do Noticias
  • EconomiaEconomia
  • CulturaCultura
  • DomingoDomingo
  • DesafioDesafio
  • NotíciasNoticias

Conselho de Administração

Bento Baloi Presidente

Rogério Sitoe Administrador

Cezerilo Matuce Administrador