A falta de recursos financeiros, meios de transporte, infra-estruturas e o défice do número de fiscais florestais e faunísticos prevalece, mas o aumento da coordenação entre as autoridades gestoras das áreas de conservação a nível nacional e as comunidades está a fazer reduzir a incidência da caça furtiva.

Segundo a Administração Nacional das Áreas de Conservação (ANAC) o reforço da coordenação com os agentes comunitários, Forças de Defesa e os Serviços de Segurança do Estado, Polícia da República de Moçambique (PRM), Procuradoria-geral da República (PGR), entre outros intervenientes, está a ajudar na protecção do meio ambiente e da biodiversidade.

Este reforço resultou na redução da caça furtiva em cerca de 50 por cento e originou na detenção de vários caçadores furtivos. A título de exemplo, apurámos que foi recentemente neutralizado, detido, julgado e condenado a 14 anos de prisão, um cidadão acusado de cometimento de um crime contra a vida selvagem.

Outro caso aconteceu na província de Cabo Delgado, onde foi detido um caçador furtivo há sensivelmente um mês que também foi condenado a 14 anos de prisão. Estas condenações resultam do facto de o Governo ter assumido que a conservação do meio ambiente e da biodiversidade são actividades centrais para a promoção do desenvolvimento sustentável, inclusivo e integrado.

O director-geral da ANAC, Mateus Muthemba, afirma que mesmo sem homens suficientes para proteger todo o território das áreas de conservação, o sector tem vindo a registar progressos que também resultam dos investimentos que estão a ser feitos no domínio da formação de recursos humanos, aquisição de viaturas e aeronaves para o patrulhamento.

Naturalmente que estamos aquém da capacidade de fazermos uma fiscalização cabal para as nossas áreas, por isso que unimos esforços com a PRM e com a PGR a todos os níveis para neutralizarmos os caçadores furtivos e rapidamente serem responsabilizados”, disse.

TEXTO DE IDNÓRCIO.MUCHANGA

Câmbio

Moeda Compra Venda
USD 63,6 64,83
ZAR 4,56 4,65
EUR 71,57 72,96

11.04.201Banco de Moçambique

Quem está Online?

Temos 206 visitante(s) ligado(s) ao Jornal