A direcção do Instituto Industrial e de Computação Armando Emílio Guebuza, em Beluluane, na Matola-Rio, província de Maputo, reparou as máquinas da área da mecânica industrial que estavam paralisadas por falta de correias.

Trata-se do equipamento que viabiliza as aulas práticas, que passam a ocupar 75 por cento do tempo de formação, no quadro da mudança do currículo do ensino técnico-profissional.

As máquinas reparadas foram adquiridas com o financiamento do Banco Mundial, através do Programa Integrado da Reforma da Educação Profissional (PIREP).

Segundo Stélio Tivane, director do Instituto Industrial e de Computação Armando Emílio Guebuza, no dia em que domingo visitou a instituição, estava-se em processo de substituição de correias nas máquinas.

Na altura, estávamos à espera que a direcção administrativa desembolsasse os fundos para o efeito. Para a disponibilização do valor, primeiro é preciso fazer uma requisição que tem de ser autorizada e só depois disso é que se compra o material. Foi esta burocracia que fez com que ficássemos alguns dias com as máquinas paradas”, disse Stélio Tivane, para depois acrescentar que neste momento as aulas estão a decorrer normalmente.

De referir que a instituição tem uma oficina de mecânica industrial, que está acoplada a oficinas de serralharia, visto que esta área trabalha com instrumentos mecânicos e soldaduras. Há igualmente a oficina de Tecnologia de Informação e Comunicação (TIC), que é a especialidade do instituto.

Stélio Tivane afirmou que o que tem assegurado o sustento à produção escolar é o arrendamento das oficinas a escolas e centros de formação profissional privados que não dispõem de equipamento industrial.

Pub

Câmbio

Moeda Compra Venda
USD 63,6 64,83
ZAR 4,56 4,65
EUR 71,57 72,96

11.04.201Banco de Moçambique

Quem está Online?

Temos 193 visitante(s) ligado(s) ao Jornal