FMI recomenda prudência na proposta de orçamento

O Governo moçambicano deverá eliminar as isenções do Imposto sobre o Valor Acrescentado (IVA), exceptuando os bens da cesta básica, e fortalecer a administração desta tributação, numa medida recomendada pelo Fundo Monetário Internacional (FMI) com vista à consolidação da arrecadação da receita.

A missão do FMI que semana finda esteve em Moçambique a convite do ministro da Economia e Finanças, no âmbito da preparação do Orçamento do Estado para o próximo ano, recomendou ainda a submissão de uma proposta sustentada por pressupostos macroeconómicos realistas, bem como por projecções da receita e despesa prudentes.

Falando sexta-feira à imprensa, em Maputo, Ricardo Velloso, chefe de Divisão no Departamento Africano do FMI e que chefiou a missão, referiu-se também à pertinência da redução da folha salarial em função do PIB através de aumentos salariais moderados, particularmente para as camadas melhor remuneradas do sector público, bem assim à necessidade de moderação nas contratações adicionais, que deverão ser limitadas às necessidades urgentes nos sectores sociais.

Leia mais...

Pub