Texto de Benjamim Wilson

This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.
 
 
O processo de construção de estradas no nosso país deverá passar a incorporar a componente resiliência climática, uma forma que o Governo pretende adoptar para evitar danos nas infra-estruturas rodoviárias.

 

Face às alterações climáticas, colocando o país numa situação de vulnerabilidade, pretende-se que novos padrões de construção de estradas sejam adoptados.

O ministro das Obras Públicas, Habitação e Recursos Hídricos, João Machatine, defendeu que esta nova abordagem para o sector de estradas está ligada aos desafios que se colocam, visto que os efeitos climáticos têm causado grandes perdas na componente humana, infra-estrutural e económica.

Segundo Machatine, vezes sem conta a qualidade e a segurança das infra-estruturas são colocadas em causa sempre que o país é afectado por ciclones e cheias.

O titular das Obras Públicas considerou que se tem recorrido ao uso de dinheiro que deveria ser investido na implementação do Plano Quinquenal do Governo para fazer face às necessidades de emergência, retardando, deste modo, os programas de desenvolvimento.

Trata-se de um desafio que o Governo considera que deve ser encarado com responsabilidade, porque estão em causa elevadas somas de dinheiro.

As estradas são sempre consideradas “corredores” de desenvolvimento socioeconómico, como também possibilitam o acesso aos serviços básicos, como de saúde e de ensino por parte das populações.  

Tal como foi destacado na recente reunião do Programa Integrado do Sector de Estradas (PRISE), há que assegurar que o nível das infra-estruturas corresponda aos padrões dos investimentos que são realizados.

A nova abordagem vai fazer com que, desde a concepção até a construção das infra-estruturas, comece a sofrer alterações, assim como deverão ser revistos os instrumentos que norteiam os projectos relacionados com as infra-estruturas rodoviárias.  

Conforme foi destacado, estão a decorrer projectos na província de Gaza, os quais poderão vir a ser replicados em outras regiões do nosso país. Os referidos projectos representam investimentos na ordem de 120 milhões de dólares, sobretudo na reabilitação das estradas que foram danificadas durante as cheias de 2013.  

Ainda na província de Gaza, está a decorrer um projecto-piloto para conferir maior resiliência a três estradas rurais.

O Governo anunciou a disponibilidade de cerca de 150 milhões de dólares que deverão ser empregues para conferir maior resistência a estradas das províncias de Nampula e da Zambézia.

O Executivo pretende fazer com que os locais de produção agrícola estejam conectados com os maiores pontos de comercialização, reduzindo as vulnerabilidades económicas no seio das comunidades naquelas três províncias a que nos referimos.

No encerramento do PRISE, Machatine orientou as empresas de construção a aprimorarem padrões que incorporem a resiliência, visto que os parceiros de desenvolvimento têm privilegiado projectos que englobem questões de resistência aos efeitos climáticos.

“Queremos desafiar os construtores a terem atenção à nova abordagem na fase da elaboração dos projectos. Seria bom que tomassem em atenção estes aspectos, visto que isso vai tornar-vos mais competitivos no processo de selecção”, disse.    

Leia mais...

Pub

Câmbio

Moeda Compra Venda
USD 59,96 61,15
ZAR 4,17 4,25
EUR 68,7 70,06

19.10.201Banco de Moçambique