O distrito de Mopeia, no Sul da província da Zambézia, está a acolher um conjunto de projectos económicos que incluem a exploração de uma imensa mina de ouro, construção de um hotel, reposição de regadios, produção industrial de óleo alimentar, entre outros, que estão a mexer com a vida da população local.

Vidal Bila, administrador do distrito, afirma que estas e outras iniciativas empresariais que estão na calha poderão fazer com que o distrito deixe de ser visto como um local recôndito, onde pouco ou nada acontece para além da pesca no rio Zambeze e da produção de arroz para fins de subsistência.

Vidal Bila sugere à população e ao governo local para, sempre que possível, se esmerar na construção de novos empreendimentos. “Áreas de cultivo, celeiros, lojas, bancas e barracas, seja o que for, devem ser pensados e feitos em grande dimensão para sairmos do anonimato”, afirma.

O ponto de partida para a almejada transformação foi a asfaltagem da estrada que liga aquela vila à Estrada Nacional Número Um (EN1), numa extensão de cerca de 40 quilómetros que, apesar de recente, tem uns buracos aqui e outros ali, mas que não comprometem a circulação.

Conforme referimos e testemunhámos, o administrador do distrito funciona como um animador das massas, estimulando até aos funcionários públicos e suas famílias a se interessarem pela actividade agrícola e a serem exemplos de produção em quantidade e qualidade.

Fruto desse empenho generalizado, na sede do distrito de Mopeia a venda de arroz é um negócio pouco apetecível porque quase todos os habitantes da vila-sede têm o produto nos celeiros ou nas machambas. O que falta são lugares para processar.

Aliás, a produção de arroz é facilitada por diferentes vantagens que o distrito possui com ênfase para a qualidade do solo que não requer o uso de adubos e fertilizantes químicos. “Para os objectivos que pretendemos, de nos tornarmos uma referência nacional, basta alguma mecanização e, para isso, dispomos de parques de máquinas”, disse o administrador.

Um dos pontos onde se pode observar a devoção dos residentes deste distrito pelo cultivo do arroz é nos 165 hectares (ha) que pertencem à Associação Paz, liderada por Bernardo António. A área está infra-estruturada na forma de regadio, porém, antes da reabilitação, a produção era feita em regime de sequeiro e dava um máximo de tonelada e meia por hectare.

Leia mais...

Pub

Câmbio

Moeda Compra Venda
USD 59,96 61,15
ZAR 4,17 4,25
EUR 68,7 70,06

19.10.201Banco de Moçambique

Quem está Online?

Temos 347 visitante(s) ligado(s) ao Jornal