Primeiro num pa­ciente na Alema­nha e agora num paciente inglês, um tratamento com células estaminais parece ter “limpado” o vírus da sida. Especialis­tas crêem que esta des­coberta pode ser o ca­minho para uma cura do vírus da imunodeficiên­cia humana, que já ma­tou mais de 35 milhões de pessoas desde a sua descoberta, em 1983.

 Foi diagnosticado com HIV em 2003 e em 2012 com linfoma de Hodgkin, um cancro do sistema linfático. Em 2016, estando em risco de vida, foi submetido a quimioterapia e a um transplante de medula óssea de um dador re­sistente ao HIV. Tanto o cancro como a infecção viral entraram em re­missão: há 18 meses que não toma medicamen­tos para o HIV e o vírus está indetectável.

 “Não conseguimos encontrar qualquer tra­ço do vírus. não de­tectamos nada,” diz o virologista Ravindra Gupta, do Universi­ty College de Londres e um dos responsáveis da equipa que tratou o ho­mem ‒ conhecido como “o paciente inglês” ‒ ao Guardian. Gupta des­creve o homem como “funcionalmente cura­do” e “em remissão”, mas adverte: “É muito cedo para afirmar que está curado.”

Leia mais...

Pub

Câmbio

Moeda Compra Venda
USD 59,96 61,15
ZAR 4,17 4,25
EUR 68,7 70,06

19.10.201Banco de Moçambique

Quem está Online?

Temos 187 visitante(s) ligado(s) ao Jornal

+ lidas