Alguns locais do inte­rior de Macomia, como Mucojo e Quiterajo, que constituíam preocupa­ção em termos de aces­sibilidade, por razões climatéricas e de segurança, já estão a receber assistência, de acordo com Augusta Maíta, directora-geral do Instituto Nacional de Gestão das Calamida­des.

Esta informação foi avançada, ontem, em Pemba, durante a confe­rência de imprensa, realizada com o objectivo de apresentar o quadro ac­tual, do Norte do país, após a passa­gem devastadora do ciclone tropical Kenneth.

Maíta garantiu que “temos esta­do a trabalhar com o apoio das forças que estão no terreno, para permitir que essa acção seja feita da forma mais segura possível”. Assim, ainda ontem, sábado, uma equipa foi en­viada para escalar aqueles pontos.

 Reagindo à informação segun­do a qual, há dias, a Sul de Maco­mia, um grupo de insurgentes não permitiu o trabalho de assistência às vítimas, Augusta Maíta afirmou que não tinha nenhuma indicação de suspensão de ajuda humanitária. “Hoje mesmo (no sábado) realizá­mos uma reunião de coordenação e não tivemos a indicação de suspen­são de actividades, mas sim de que houve alguma agitação a 15 quiló­metros da vila de Macomia, mas que foi prontamente respondida pelas Forças de Defesa e Segurança, que estão no local. Nós também temos a nossa equipa no terreno, e isso obviamente preocupou-nos, mas temos a informação de que esse as­sunto foi ultrapassado”.

Texto de Carol Banze

This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.
Pub

Câmbio

Moeda Compra Venda
USD 63,6 64,83
ZAR 4,56 4,65
EUR 71,57 72,96

11.04.201Banco de Moçambique

Quem está Online?

Temos 190 visitante(s) ligado(s) ao Jornal