Moçambique tem a maior taxa de exclusão financeira a nível da região Austral de África, que se situa em cerca de 60 por cento e só 20 por cento da população têm acesso aos serviços financeiros formais e pouco mais de 16 por cento recorrem aos informais.

A organização Economist Intelligence Unit’s 2015 Microscope índex avaliou 55 países e o nosso ficou na vigésima terceira posição, muito atrás das Maurícias, que é o país com a melhor taxa de acesso, com cerca de 85 por cento, seguido por África do Sul, com 75 por cento de acesso, e Namíbia, com 62 por cento. Países como Malawi e Zâmbia têm, igualmente, elevados índices de exclusão financeira, com 51 e 41 por cento, respectivamente.

Estes dados serão discutidos durante o X Fórum da Associação de Poupança e Crédito Acumulativo e Rotativo (ASCAS), que inicia nesta terça-feira em Maputo, sob o lema “Retiro Para o Próximo Nível das ASCAS”.

O evento visa encontrar estratégias e mecanismos direccionados ao combate à pobreza através de um conjunto de instrumentos, que coincidam com os Planos Estratégicos de Desenvolvimento do Governo, assim como com as estratégias desenhadas pelos parceiros na inclusão financeira e na erradicação da pobreza.

Leia mais...

Pub

Câmbio

Moeda Compra Venda
USD 59,96 61,15
ZAR 4,17 4,25
EUR 68,7 70,06

19.10.201Banco de Moçambique

Quem está Online?

Temos 220 visitante(s) ligado(s) ao Jornal