A Direcção Executiva do Grupo Banco Mundial acaba de aprovar uma doação da Associação Internacional de Desenvolvimento (IDA) no valor de USD 45 milhões de dólares para apoiar a segunda fase do Projecto de Áreas de Conservação para Biodiversidade e Desenvolvimento do Governo de Moçambique, conhecido sob a sigla Mozbio (Fase 2).

O Programa MozBio 2 visa contribuir para melhorar a subsistência das comunidades locais que vivem em torno das Áreas de Conservação e apoiar a preservação da vida selvagem, biodiversidade e ecossistemas de Moçambique.

Estima-se que quase 10 mil famílias possam ser beneficiadas directamente pelo projecto, aumentando a sua renda, a disponibilidade do emprego e fortalecendo a capacidade de cadeias de valor que dependem de recursos naturais, como turismo, agricultura de conservação, uso sustentável da vida selvagem e produtos florestais não madeireiros.

A gestão sustentável de recursos é fundamental para reduzir a pobreza e promover a prosperidade partilhada. É por isso que temos orgulho de reafirmar o nosso compromisso com o MozBio 2”, lê-se num comunicado do Banco Mundial enviado ao domingo.

O programa é uma oportunidade para fortalecer as Áreas de Conservação de Moçambique e transformar os meios de subsistência das comunidades rurais”, disse Mark Lundell, director do Banco Mundial para Moçambique, Madagáscar, Ilhas Maurícias, Seicheles e Comores.

O Mozbio 2 contribuirá para a protecção de cerca de 1 milhão de hectares entre as três áreas de conservação diferentes. Isto incluirá habitats únicos, como a maior zona húmida e local de Ramsar em Moçambique na Reserva de Marromeu; uma das poucas florestas Afromontanas remanescentes em África em Chimanimani; e o centro de endemismo de África na Reserva Especial de Maputo.

O projecto também mitigará as mudanças climáticas protegendo os habitats ricos em carbono, abordando as causas do desmatamento (como a agricultura de corte e queima) e melhorando a gestão das AC. No total, o projecto evitará emissões do equivalente a 11 milhões de toneladas de CO2 ao longo de um período de 20 anos.

O MozBio 2 centra-se na melhoria dos meios de subsistência das comunidades rurais como uma estratégia para reduzir a pressão sobre as áreas protegidas e os seus recursos naturais. Esta operação faz parte de um programa maior e integrado de gestão da paisagem, e baseia-se nas suas instituições e conhecimento, incluindo o sistema de matching grants (subsídios) para promover negócios sustentáveis”, disse André Aquino, especialista sénior em Gestão de Recursos Naturais do Banco Mundial.

O capital natural substancial de Moçambique inclui 36 milhões de hectares de terra arável e 32 milhões de hectares de florestas naturais (principalmente florestas secas de miombo, mas também grandes áreas de mangal).

 

Pub

Câmbio

Moeda Compra Venda
USD 59,96 61,15
ZAR 4,17 4,25
EUR 68,7 70,06

19.10.201Banco de Moçambique